Pesquisar

CLIQUE AQUI PARA CONHECER NOSSAS REDES SOCIAIS.

CLIQUE AQUI PARA CONHECER NOSSAS REDES SOCIAIS.
acima uma imagem escrito a seguinte frase,(clique aqui)

Como está sua visão depois da cirurgia de catarata? Se você tem Rp e já operou deixe seu voto.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

A pessoa com deficiência pode continuar recebendo BPC se ingressar no mercado de trabalho?

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Estou curado da minha baixa visão.

Baterista com Retinose pigmentar é um exemplo de superação.

Na batida da “batera”, o músico e deficiente visual Celso Pontes, de 68 anos, tira de suas baquetas a esperança de um mundo melhor. É no ritmo da vida que ele ajuda, gratuitamente, dezenas de jovens que veem na música um meio para progredir. O caminho artístico não é fácil, mas a universalidade da música consegue, segundo ele, transformar pessoas, lugares e vidas.
Portador de Retinose pigmentar (RP), de um grupo de doenças hereditárias que causam a degeneração da retina, região do fundo do olho humano, Celso perdeu a visão por completo aos 26 anos. Mas a música surgiu na sua vida quando ele ainda era criança. Na fazenda em que vivia em Aperibé, no Sul do Estado, foi com o tio, a quem ele chama de maestro Crispim, que ele aprendeu os primeiros sons. De presente, ele ganhou uma sanfona, mas ao logo do tempo, o instrumento deu lugar à bateria, que é hoje a paixão de Celso.
Formado pela Escola de Música Vila Lobos, foi na Velha Guarda que ele despontou para o trabalho na noite. Em 1982, ele se mudou para a França, retornando ao Brasil, em 2004. Mas foi em 2006, que ele viu que poderia fazer mais pelo próximo. Professor de um projeto Social de Manguinhos, ele ajudou a ingressar muitos jovens na música. No mesmo período, ele passou a dar aulas de iniciação musical para os jovens em sua casa, em Rio do Ouro, onde continua ainda nos dias de hoje. A deficiência nunca foi um problema para o professor. “Nós, músicos deficientes visuais, temos ouvido absoluto. As notas estão todas na minha cabeça e posso dizer que enxergo com meus ouvidos. O estudo da música requer muita disciplina”, disse. Celso conta que em todo o tempo dando aulas de maneira gratuita, nunca recebeu um aluno com deficiência. “Adoraria ensinar alunos com autismo ou qualquer outra deficiência. Gostaria de dar a eles a chance que recebi. Quando ingressei na escola de música, já não enxergava e recebi muito apoio. Então, por que não ajudar como eu fui ajudado?”, afirmou. Sucesso – Aos 10 anos, o baterista Raphael Souza, 25, começou a estudar bateria com Celso. De família de músicos, ele foi incentivado pelos parentes e foi um dos primeiros alunos. Hoje, Raphael toca com a banda Devir, que ficou em 5º lugar no programa Super Star, da Rede Globo.
“Desde pequeno era apaixonado por música. Quando conheci o Celso, ele ainda estava em transição entre Brasil e França. Toda vez que ele retornava, eu vinha aqui aprender. Ele é muito generoso e foi um prazer ser aluno dele. O Celso nunca cobrou nada para ensinar. Meu desejo é fazer como ele”, revelou Raphael, que toca também com a cantora francesa Valerie Lee.
Contato – As aulas de Celso acontecem, com hora marcada, duas vezes por semana e tem uma hora de duração. Quem desejar conhecer o projeto, pode ligar para 98770-0921.

Fonte:http://www.osaogoncalo.com.br/geral/21228/enxergando-com-o-ouvido

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Retinose pigmentar no yotube.

Inscreva-se no nosso canal no YouTube.
O propósito do canal, é converter conteúdo de texto em áudio para você. O canal não tem um conteúdo específico voltado para retinose pigmentar, mas o meu intuito é sempre estar colocando notícias relacionadas a rp. E desta forma tornar a notícia acessível para aqueles que tem baixa visão, que ainda não dominam alguns recursos de tecnologia assistiva. Se você gostou da ideia, acesse o link abaixo, e se inscreva no nosso canal.

Confira os passos:
Entre no nosso canalno link acima. Passo 1. Abra o YouTube e inicie um vídeo. Selecione a opção “Inscrever-se”, que fica abaixo da descrição e ao lado do nome do canal;
Passo 2. Clique em “Ativar” para ligar as notificações de novos vídeos postados pelo canal;
Passo 3. Toque em “OK” para confirmar que deseja receber notificações de novos vídeos do canal.
Pronto. O procedimento é o mesmo no aplicativo para iOS. A partir de agora, quando o canal postar um novo vídeo, você será notificado.

                Fonte:Instrução de como se escrever no canal, retirada do site TechTudo.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Aparelho que aumenta visão de pessoas com glaucoma e Retinose pigmentar.




Um médico de  João Pessoa  desenvolveu um aparelho óptico que visa melhorar o campo de visão de pessoas que perderam a visão periférica por causa de doenças como glaucoma e retinose pigmentar. Segundo o oftalmologista Osvaldo Travassos, inventor do aparelho, o objeto não recupera o campo de visão perdido, mas aumenta a quantidade de elementos visuais que a retina pode registrar.
“A visão é responsável por 85% do nosso relacionamento com o ambiente ao nosso redor. Quando se perde a visão periférica, a pessoa passa a ver apenas pela visão central, que se parece como se estivesse olhando por um tubo. Com isso, a pessoa perde a noção do que está ao redor, tendo que olhar as coisas por partes para poder saber onde estão ou como são os objetos”, explica o médico.

A pesquisa para a construção do instrumento começou em 2013, mas apenas em 2016 que o oftalmologista se convenceu dos resultados dos testes feitos com alguns pacientes e apresentou a pesquisa e o protótipo do invento em um congresso de oftalmologistas realizado em outubro deste ano, em Belo Horizonte. 

“O aparelho consiste em uma combinação de lentes, positivas e negativas que, somadas, abrem o campo de visão tubular do paciente. Visualmente, o protótipo se parece como se fossem dois óculos colados um ao outro. Esse instrumento pega o pouco que a pessoa vê e acrescenta mais elementos da visão periférica dentro desta visão tubular”, comenta Travassos.

Desde que foi pensado até este ano, Osvaldo Travassos já experimenta o invento com pelo menos 20 pacientes. Para saber quais lentes utilizar na confecção, ainda artesanal, do aparelho, o oftalmologista realiza exames convencionais e cálculos com base no grau de visão tubular que o paciente tem. “Como atualmente ele funciona como se fossem dois óculos, a construção do instrumento é semelhante a de um óculos, que podem ser confeccionados em uma ótica convencional”, diz.
Os testes do equipamento estão sendo feito nestes pacientes e o objeto está em processo de patenteamento. Por enquanto, o objeto só é confeccionado mediante solicitação do médico, mas a ideia do oftlmologista é aprofundar a pesquisa e melhorar o equipamento, para que mais pessoas possam usufruir do invento.
“Vários setores da indústria também podem se beneficiar deste protótipo para ajudar na confecção. Desde o setor de design até o da fabricação em si. Ainda há muito a ser melhorado e, quem sabe, em breve uma versão final e comercializável do instrumento possa existir para facilitar a vida destas pessoas”, completa.


Fonte:http://www.jornalfloripa.com.br/mundo/noticia.php?id=29831284

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Pessoa com deficiência pode ter carro com até 25% de desconto.

Pessoas com deficiência física, visual, mental, severa ou profunda e autistas, têm direito a comprar um carro zero quilômetro com até 25% de desconto em relação ao valor final de um veículo vendido para o público comum, obtendo isenção ou reduções em tributos como o Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI), Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), além de redução no Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).
saiba mais
Veja situações em que é possível comprar carro com desconto
Para orientar quem tem direito ao benefício, o G1 preparou um guia com base em informações do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul (Detran/MS). Confira abaixo as principais informações e um passo a passo.
Antes de iniciar o processo é importante saber:
- A legislação que regulamenta o benefício é composta pelos artigos 1º, IV e §1º da Lei 8.989/1995 e os artigos 3º e 4º do Decreto nº 3.298/1999.
Quem tem direito, conforme a legislação em vigor são pessoas com deficiência física, visual, mental, severa ou profunda e autistas;
- A deficiência física é definida como uma alteração completa ou parcial de um ou mais segmentos do corpo humano, acarretando o comprometimento da função física, apresentando-se sob a forma de paraplegia, paraparesia, monoplegia, monoparesia, tetraplegia, tetraparesia, triplegia, triparesia, hemiplegia, hemiparesia, ostomia, amputação ou ausência de membro, paralisia cerebral, nanismo, membros com deformidade congênita ou adquirida, exceto as deformidades estéticas e as que não produzam dificuldades para o desempenho de funções; 
- Quanto a deficiência visual, a legislação estipula para a concessão do benefício, que é considerada a pessoa que apresenta acuidade visual igual ou menor que 20/200 (tabela de Snellen) no melhor olho, após a melhor correção, ou campo visual inferior a 20°, ou ocorrência simultânea de ambas as situações;
- Por fim, a deficiência mental é determinada como o funcionamento intelectual significativamente inferior à média, com manifestação antes dos 18 anos e limitações associadas a duas ou mais áreas de habilidades adaptativas, tais como: comunicação, cuidado pessoal, habilidades sociais,  utilização da comunidade, utilização dos recursos da comunidade, saúde e segurança, habilidades acadêmicas, lazer e trabalho;
- Se a pessoa que for requerer o benefício não puder conduzir o veículo, poderá indicar durante o processo até três condutores que vão dirigir por ele;

- O benefício de isenção de IPI, IOF e ICMS vale somente para a aquisição de veículos novos;
- A legislação impõe que o valor do veículo que será adquirido não pode ser superior a R$ 70 mil e caso o requerente solicite a isenção do IOF, o automóvel deverá ser de fabricação nacional e com até 127 HP de potência bruta;
- Após concluído todo o processo, o beneficiário terá o prazo de 270 dias, contados da assinatura, pela Receita Federal, e 180 dias, pela Secretaria Estadual de Fazenda, para adquirir o veículo, mantendo as isenções;
- A legislação estipula que o beneficiário deve ficar pelo menos dois anos com o veículo adquirido se solicitou isenção de IPI e ICMS. O período aumenta para três anos, se pediu isenção de IOF. Caso queira vender antes é necessário pedir autorização aos órgãos competentes e pagar os impostos.
Veja o passo a passo do que fazer para obter o benefício, conforme orientação do Detran/MS:
1- A primeira etapa do processo é a pessoa que for requerer o benefício comprovar que se enquadra nos casos previstos para legislação. Isso é feito por meio de um laudo de uma junta médica. Esse laudo deve ser emitido, em formulário específico, pelo serviço público de saúde ou serviço privado de saúde, contratado ou conveniado, que integre o Sistema Único de Saúde (SUS), no estado. O laudo emitido pelo Detran/MS para a habilitação de condutores também poderá ser aceito pela Receita Federal e secretaria estadual de Fazenda, se contiver todas as informações necessárias.
O Detran/MS emite laudos somente para fins de habilitação, logo, quem não possui CNH deve obter o laudo no Sistema Único de Saúde (SUS). O formulário específico a ser preenchido pelo médico encontra-se no site do Detran/MS, ou ainda nas páginas da Receita Federal e da secretaria estadual de Fazenda. Somente os requerentes que possuem CNH passarão pelo Detran/MS, e ainda assim, se houver necessidade de alteração em sua carteira de habilitação. Caso não haja, poderá obter o laudo no SUS e proceder ao requerimento nos órgãos responsáveis – Receita Federal e Sefaz. No site do Detran/MS, ao preencher um cadastro, os formulários necessários serão emitidos juntamente com um check-list contendo toda a documentação necessária.
2 - Caso queira o laudo ou necessite alterar sua CNH para incluir restrição na CNH, porque houve alteração em seu quadro clínico referente ao último exame médico realizado, o candidato passará por junta médica para avaliar sua deficiência física, se o médico entender que existe essa necessidade. A junta é composta por três médicos, que avaliarão as condições do candidato ao dirigir e se há necessidade de incluir alguma restrição na CNH. Caso o médico mesmo encaminhe, não há custo extra para o solicitante, que pagará o valor da CNH (primeira habilitação – custos dependem do CFC escolhido - ou renovação – hoje R$194,69). Caso o condutor já tenha passado por junta médica anteriormente, e não houver nenhuma alteração em seu quadro clínico desde a última avaliação, o médico não o encaminhará novamente para esse procedimento. Esse condutor poderá solicitar seu laudo médico para isenção de impostos no Sistema Único de Saúde, sem custos, ou solicitar passar novamente por junta médica, mas terá que arcar com os custos (R$316,20). O Detran/MS ressalta que não há necessidade de o laudo a ser apresentado para o requerimento de isenção de IPI e ICMS ser o laudo do órgão. Apenas se o requerente quiser especificamente a isenção do IOF.
3 – Se a pessoa que requerer o benefício não puder conduzir o carro, após obter o laudo médico junto ao serviço público de saúde ou serviço privado de saúde, contratado ou conveniado, que integre o Sistema Único de Saúde (SUS), poderá indicar até três condutores que dirigirão o veículo por ele, em formulário específico, e entregará junto com as demais documentações exigidas.
4- Com o laudo em mãos, o requerente deve juntar as demais documentações necessárias e protocolar seu requerimento na Receita Federal, solicitando isenção de IPI e IOF, se for o caso. O IOF pode ser solicitado apenas por deficientes físicos condutores, pois se exige no momento de requerimento CNH e laudo do Detran/MS.
5- Após passar pela Receita Federal, o requerente poderá se dirigir à concessionária para escolher o modelo do veículo e solicitar da revendedora uma carta com os dados automóvel (modelo de formulário disponível no site do Detran/MS junto às documentações da Sefaz).
6- Em seguida deve juntar as demais documentações necessárias e protocolar o requerimento de isenção do ICMS na secretaria estadual de Fazenda.
7- Com o pedido aprovado na Sefaz, o requerente poderá então adquirir o veículo. A isenção total variará conforme modelo de veículo escolhido, mas de maneira geral chega a 25% do valor do veículo. Após a compra do veículo, o beneficiário pode retornar à Sefaz para pedir a redução do valor do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). A redução do IPVA no estado vale somente para deficientes físicos e, é parcial, de 60% do valor total do imposto.


Fonte:http://g1.globo.com/mato-grosso-do-sul/noticia/2017/02/pessoa-com-deficiencia-pode-ter-carro-com-ate-25-de-desconto.html

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Podcasts que vão mudar a sua visão sobre pessoas com deficiência.

Eu ouço muito podcasts, esta mídia me cativou a pouco mais de 1 ano, desde então eu ouço de tudo um pouco, um dos motivos é o conteúdo, existem podcasts muito bons e educativos. E outro motivo é a mobilidade e a praticidade para ouvir, eu ouço viajando ou fazendo algum outro afazer, o fato de você poder baixar o episódio e poder ouvir offline  facilita muito. Abaixo eu recomendo alguns episódios sobre deficiência que acho sensacional e que me marcaram demais.Serve tanto para quem tiver interessado como para um registro para mim. Uma dica preciosa, baixe um agregador de podcasts no seu smartphone, e procure pelos números e nomes dos episódios abaixo, pois acho bem mais pratico do que ouvir no navegador.
A ordem não está em qualidade nem nada do tipo. Apenas para fim de divisão mesmo.



Mamilos 58 – Acessibilidade
Observação: O assunto começa por volta dos 10 minutos de programa.
Quem veio antes, a rampa ou o cadeirante? Qual é o certo: portador de deficiência, deficiente físico ou gerador de necessidades especiais? (spoiler alert: nenhuma das anteriores). O que é capacitismo?
Para responder todas as perguntas sem rodeios trouxemos Fernando Scalabrini, hostess do podcast Papo Acessível e Katya Hemelrijk. Com participação especial da deputada Mara Gabrilli, de Luiz Numeriano e da Alexia.
Esse é o primeiro Mamilos de uma série sobre o assunto. Nesse programa conversamos sobre aspectos mais gerais de acessibilidade e nos próximos vamos mergulhar nos diferentes universos e realidades que ela abarca.
Poder trazer essas discussões para a mesa e construir pontes entre experiências e visões de mundo tão diferentes é o que nos inspira e motiva. Vem com a gente, taca-lhe o play nesse Mamilos!
CLIQUE AQUI E OUÇA

Braincast 181 – Acessibilidade: Conteúdo com outros olhos

Apesar do despreparo do mundo para lidar com pessoas com deficiência visual, elas consomem conteúdo e usam redes sociais como todo mundo. E não apenas isso, elas também ajudam a tornar produtos culturais acessíveis a outros cegos.

No Braincast 181, conversamos com Victor Caparica e Sidney Andrade, que explicam seus métodos de leitura, consumo de filmes, séries e quadrinhos através de tecnologias assistivas, e mostram como o mercado de audiodescrição ainda tem muito o que crescer.

CLIQUE AQUI E OUÇA

Dragões de Garagem #64 Ciência e deficiência


Cristiano “Möita” Silvério (@MoitaCristiano), Lucas Camargos (@lmcamargos), Daniel Capua (@capua_daniel), Fatine Oliveira (Disbuga e @fatineoliveira) e Victor Capari    ca (Cego em Tiroteio e @victorcaparica) discutem as principais questões relacionadas à deficiência e às pessoas com deficiência. Aprenda que o termo “Portador de necessidades especiais” está completamente errado, que a mansão Xavier não é nem um pouco acessível e quais as últimas tecnologias para você virar um super-herói.

CLIQUE AQUI E OUÇA

domingo, 29 de janeiro de 2017

Apple recebe Prêmio de acessibilidade pelo esforço em tornar seus produtos acessíveis a todos.

A tecnologia mais poderosa do mundo é aquela que todos, inclusive as pessoas com deficiência, conseguem usar. Seja para trabalhar, criar, se comunicar, ficar em forma ou se divertir. Por isso, não criamos produtos que sirvam para apenas algumas pessoas ou para a maioria das pessoas. Nós criamos produtos para cada pessoa.

Esta é, definitivamente, uma área que muitas outras empresas deveriam seguir os passos da Maçã. A prova disso foi o mais recente prêmio recebido pela empresa, o Louis Braille Award, entregue pela Associated Services for the Blind and Visually Impaired (algo como Associação de Serviços para Cegos e Deficientes Visuais).

Desde 1959, a ASB concedeu anualmente o prestigiado prêmio Louis Braille para homenagear indivíduos e organizações que fizeram contribuições significativas em nome de indivíduos cegos ou deficientes visuais. O prêmio também foi dado a pessoas que são cegas ou deficientes visuais que superaram grandes probabilidades de fazer realizações notáveis e têm fornecido inspiração para outras pessoas que vivem com alguma deficiência visual. Os recursos arrecadados na cerimônia de premiação beneficiam diretamente os programas e serviços da associação.


Obrigado, @ASBPhiladelphia, para honrar a Apple com o Louis Braille Award. Orgulho de dedicação das nossas equipes para #acessibilidade.

Jordyn Castor, engenheira da Apple que nasceu cega, foi uma das que receberam o prêmio em nome da Maçã.

Em 2015, a Apple foi homenageada pela AFB (American Foundation for the Blinds, ou Fundação Americana para Cegos), recebendo o prêmio Helen Keller; esses reconhecimentos só mostram que a Apple definitivamente está no caminho certo quando o assunto é tornar suas linhas de produtos acessíveis1 para todos.

[via AppleInsider]


Fonte:https://macmagazine.com.br/2017/01/29/apple-recebe-o-premio-louis-braille-pelo-esforco-em-tornar-seus-produtos-acessiveis-a-todos/