Pesquisar

Minhas Redes Sociais – Nosso contato direto com você

No link abaixo nosso contato e nosso endereço de redes sociais. Siga-nos nestas Redes Sociais e tenha sempre acesso as informações que publicamos regularmente.



CLIQUE AQUI!

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Jornalista e locutor de rodeio portador de Retinose Pigmentar um exemplo de superação.

24 anos, jornalista formado, narrador de rodeio, locutor de rádio, vereador eleito com o maior número de votos do município, e ainda, um exemplo a ser seguido como pai, marido, filho, neto, amigo e aluno. Todas estas qualidades já seriam surpreendentes quando encontradas em uma única pessoa, mas a história deste jovem é ainda mais interessante.

Wesley Araújo tem retinose pigmentar, uma doença que faz o olho nascer cego, mas ele não se deixou abater pelos imprevistos da vida e a cada dia que passa traça uma história que desperta o sentimento de admiração, por aqueles que o conhecem.

Já aos sete meses de vida Wesley começou a frequentar a escola para deficientes visuais, em Marialva – cidade em que mora, e até os dois anos de idade fez um intenso trabalho de estimulação do tato com a professora Aparecida Lugli.

A partir dos sete anos, começou o processo de alfabetização e inserção no ensino regular, com a ajuda da professora Angela Maia. Wesley aprendeu o sistema Braille no contraturno, devido a isso, durante as aulas do ensino fundamental ele conseguia acompanhar o conteúdo normalmente, sem precisar de uma educadora especial. “Tudo o que eu conquistei até hoje eu devo muito à professora Angela, ela foi quase uma mãe pra mim, sempre se esforçou muito pela minha educação”, destaca.

Todos os livros didáticos que usou na escola foram impressos em Braille pelo Centro de Apoio Pedagógico (CAP), em Maringá. “Não tenho o que reclamar, sempre fui muito bem assessorado”, elogia.

Wesley conta que nunca sofreu nenhum tipo de preconceito; “na infância, quando eu ia brincar com os meus amigos, eles não faziam diferença por eu ser cego e adaptavam as brincadeiras para que eu pudesse sempre estar com eles”.

“Meus avós, Valetim e Gertrudes são também responsáveis pela minha educação, minha mãe sempre trabalhou muito, então o papel de cobrar a frequência às aulas ficava para minha avó, que mesmo em dias de muita chuva, não me deixava faltar à escola”. Com isso, na oitava série do ensino fundamental recebeu o prêmio de quarto melhor aluno do ano.

Para Wesley a base de tudo na vida é a educação. “Sem o estudo a gente pode até conquistar o sucesso, mas o caminho a ser percorrido vai ser bem mais difícil. Essa é uma lição que quero deixar para o meu filho”.

Com a conclusão do ensino médio, era o momento de cursar uma faculdade, e Wesley não teve dúvidas do caminho que queria seguir. “Desde que sou criança meu pai narra rodeio, sempre fui apaixonado por microfone, já sabia que a minha área era a comunicação”.

Aprovado no curso de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, em duas instituições de Maringá, o bom aluno começou a traçar seu futuro. “Na faculdade já foi possível usufruir da tecnologia, em vez da máquina de escrever em Braille, que usei em toda a minha vida escolar, tive acesso ao notebook com internet e um programa chamado JAWS, que falava tudo o que eu escrevia”, relembra Araújo.

Hoje Wesley trabalha como vereador, faz locução e comenta sobre esportes na rádio, de uma forma muito curiosa narra rodeios pelo Brasil e ainda realiza palestras motivacionais contando sua experiência de vida, e que experiência.

Fonte:http://blogs.odiario.com/odiarionaescola/2013/01/23/vontade-de-vencer/

Nenhum comentário:

Postar um comentário