Pesquisar

Minhas Redes Sociais – Nosso contato direto com você

No link abaixo nosso contato e nosso endereço de redes sociais. Siga-nos nestas Redes Sociais e tenha sempre acesso as informações que publicamos regularmente.



CLIQUE AQUI!

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Mesmo com as adversidades, obstáculos e dificuldades a gente pode se realizar.




Marcelo Prado perdeu quase 100% da visão por conta de uma doença.
Hoje, além de agrônomo, ele presta consultoria na área de agronegócios.

Dentre várias histórias de empreendedores que alcançaram o sucesso, a de Marcelo Prado leva outro importante elemento: a superação. Paulista por nascimento, mas há anos morando em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, o empresário contou como conseguiu crescer e prosperar nos negócios mesmo tendo perdido quase 100% da visão. Hoje, além de ser agrônomo por formação, consultor e palestrante por opção e músico por determinação, ele também se tornou um escritor depois de lançar um livro com a história de vida dele.

Aos 56 anos e cidadão de Ituverava (SP), o consultor contou porque também pode ser considerado um modelo de superação. "Aos oito anos de idade eu tive um problema na visão e perdi 50% da visão. E era um problema progressivo. Quando eu cheguei aos 17 anos eu tinha só 30% da visão e com isso não dava mais para ler a letra do livro, não dava mais para ler um jornal, não dava mais para enxergar o rosto de uma pessoa há mais de cinco metros de distância. Tive que fazer o vestibular com uma pessoa lendo a prova para mim. Inclusive foi muito interessante porque naquela época não tinha essa preocupação com acessibilidade. A moça da inscrição da faculdade não disse que se eu não pudesse ler eu não poderia fazer a prova. Eu insisti e fui falar com o diretor, consegui fazer a prova e fui aprovado. Fiz agronomia com muita dificuldade e meu médico na época dizia que eu não teria condição visual de ser um agrônomo", lembrou o empresário.



Uma cirurgia, aos 35 anos, para reverter a retinose pigmentar que afetava Marcelo não deu certo e reduziu a visão dele a apenas 1%. As dificuldades cresceram e a vontade de enfrentá-las também. Depois de 21 anos em uma empresa do ramo de soja, ele foi demitido, mas a crise não paralisou o empreendedor.

"Eu comecei como engenheiro agrônomo, numa espécie de um gerente de fazenda, começando com o cultivo de soja. Na época nós fomos um dos pioneiros no Triângulo Mineiro e era muito difícil porque não tinha variedades de soja ou de milho adaptadas para a região, não tinha mão de obra treinada. As produtividades eram muito baixas e a gente conseguiu evoluir com muita luta, com muita persistência, buscando tecnologia e só assim a gente fez com que o negócio se tornasse competitivo. Em 1999, terminou meu vínculo com a empresa e eu optei por fundar uma empresa de consultoria. Nós focamos em agronegócio num época que ninguém acreditava no agronegócio. Nós fomos os pioneiros da consultoria voltada para a gestão do agronegócio. A gente hoje trabalha em 25 estados do Brasil. Trabalhamos na Europa e na América Latina e temos uma equipe de 60 consultores trabalhando focada no agronegócio", contou.

As histórias de superação foram parar no livro 'Meu jeito de ver', que conta como Marcelo Prado vê mundo. "Nesse livro eu queria mostrar para as pessoas que mesmo com as adversidades, obstáculos e dificuldades a gente pode se realizar, a gente pode ser feliz, a gente pode virar o jogo. E eu acho que eu tinha uma história interessante para compartilhar com as pessoas. E a vida é isso, eu acho que é pensar positivamente, enfrentar os desafios e vencê-los", concluiu Marcelo.

Fonte: Portal G1.

Nenhum comentário:

Postar um comentário