Pesquisar

Minhas Redes Sociais – Nosso contato direto com você

No link abaixo nosso contato e nosso endereço de redes sociais. Siga-nos nestas Redes Sociais e tenha sempre acesso as informações que publicamos regularmente.



CLIQUE AQUI!

terça-feira, 19 de agosto de 2014

O leitor de tela NVDA.

Introdução.
Existem leitores de telas livres e gratuitos para o sistema Windows. Alternativos, portanto, aos leitores tradicionais e de custo alto. Estes, como qualquer tecnologia proprietária, causam freqüentemente dificuldades, quando não inviabilizam devido ao seu alto custo, a contratação de pessoas cegas por empresas que, naturalmente, preferem contratar funcionários que exijam os menores custos possíveis para desempenharem suas funções. Tais empresas não adotariam sistemas operacionais e tecnologias livres unicamente por causa da necessidade ou preferência de poucos funcionários.
Vamos agora apresentar uma solução promissora nesse ramo: o leitor de telas NVDA, sigla em Inglês para "Acesso Não-Visual ao Ambiente de Trabalho".
Faremos uma introdução descrevendo brevemente o que é, como surgiu, os objetivos do NVDA e, ao final, mostraremos rapidamente como instalar o programa.
Essa introdução é indispensável para situar o leitor no contexto, no funcionamento do projeto e facilitar o entendimento das coisas adiante.
Faremos aqui menções a vários sistemas, softwares e organizações na Internet. Para saber os endereços das mesmas, consulte, por gentileza, as referências ao final deste artigo.

História: Como Surgiu o NVDA?
O NVDA foi iniciado em meados de 2006, pelo jovem australiano Michael Curran, de apelido Mick (pronuncia-se maik). Mick então cursava o segundo ano de bacharelado em Ciência da Computação, mas muito tempo antes ele já percebera as distorções e mazelas que cerceiam o acesso das pessoas cegas, mais especificamente no campo tecnológico.
Sendo ele cego, foi obrigado a comprar um leitor de tela comercial para uso pessoal, profissional e estudantil. Apesar de esse leitor proporcionar acesso relativamente ótimo aos computadores que Mick precisaria usar, com o passar do tempo e convívio com pessoas em situação semelhante mundo afora, pelo menos três problemas ficaram claros para ele:
1. O alto custo financeiro desses produtos impõe sérias restrições a muitas pessoas, de maneira calamitosa, nas nações menos afortunadas do planeta.

2. Questão de ordem técnica, diz respeito ao condicionamento dos usuários cegos às políticas e idéias das empresas específicas que desenvolvem o software assistivo. Por mais excelentes que sejam as soluções encontradas por um determinado fabricante de software, cada pessoa em particular, como usuária e também consumidora, sempre ficará insatisfeita com algum detalhe, isso porque essas soluções geralmente são designadas para atender a todos de modo genérico e não específico. Como a licença desses softwares é quase sempre restritiva, torna-se impossível a cada usuário ou grupo de usuários adaptarem o software em questão àquela necessidade em específico.
3. Finalmente, o principal problema envolve aspectos morais e éticos. No caso que estamos tratando, não é justo que as pessoas cegas tenham de providenciar sozinhas os meios necessários e arcar por si só com os custos das soluções assistivas, para dispor de acesso às mesmas informações que as demais pessoas dispõe proporcionadas pela tecnologia. Sabendo disso, muitos optam por adquirir cópias ilegais desses softwares, o que, por um lado ameniza os gastos financeiros, mas de outro mantém a sujeição desses usuários às políticas do fabricante daquele software, além de ferir a licença outorgada por esse fabricante.
Objetivos e Princípios do NVDA.
Em razão de tudo isso, Mick resolveu abandonar por completo a faculdade de Ciência da Computação e dedicar-se a um projeto capaz de solucionar esses e outros problemas de quem necessita trabalhar em sistemas Windows, que são dominantes entre os sistemas proprietários atuais.
Para atingir esse objetivo, Mick decidiu iniciar o desenvolvimento de um leitor de telas para Windows, estabelecendo alguns princípios básicos a serem seguidos:
• O leitor deve ser gratuito, com o fim de facilitar a disponibilidade do mesmo e o acesso de qualquer pessoa aos mesmos sistemas dos demais leitores de tela sem custos adicionais e exorbitantes;
• O leitor deve ser licenciado de modo a que qualquer pessoa capaz do mundo possa contribuir para a melhoria e aperfeiçoamento deste, como adaptá-lo às necessidades específicas e redistribuí-lo, se for o caso.
• O leitor deve sempre permanecer aberto a novas idéias, sugestões e experimentos provindos de todas as partes do mundo, a fim de não limitar-se ao que já foi tentado nos produtos comerciais similares.
• O leitor deve, na medida do possível, seguir um "design" de fácil entendimento para programadores iniciantes, sem deixar de oferecer uma arquitetura poderosa e flexível ao máximo, que permita melhorar e implementar mais recursos e portar o programa para outros dispositivos e sistemas proprietários, quando for o caso.
Mick chamou, então, esse leitor de "Non Visual Desktop Access" ou NVDA, e escolheu como licença a largamente reconhecida e consagrada GPL (sigla em Inglês para "LICENÇA PÚBLICA GERAL GNU"), de autoria da Fundação para o Software Livre e adotada pelos sistemas GNU/Linux e outros.
Como linguagem de programação ele escolheu a Python, uma linguagem de fácil aprendizado e ao mesmo tempo riquíssima em recursos, usada inclusive internacionalmente por muitos professores universitários para introduzir estudantes de ciência da Computação ao universo da programação de computadores.
Conseqüências das Iniciativas Adotadas.
Por fim, Mick e alguns conhecidos fundaram recentemente a NV Access (acesso não visual), organização não-governamental sem fins lucrativos, destinada a desenvolver projetos e tecnologias livres que facilitem a acessibilidade para pessoas cegas e de baixa visão.
Como resultado dessa postura comunitária e cooperativa do autor e dos amigos mais próximos que o ajudaram no começo, após seis meses desde o início do projeto e divulgação do mesmo, o NVDA já contava com um pequeno time compromissado de desenvolvedores e as primeiras traduções para outros idiomas começavam a surgir.
Hoje faz cerca de um ano que Mick tomou a iniciativa e a popularidade do projeto surpreende a cada dia, crescendo como que em progressão geométrica. Já existe tradução para Português do Brasil. As qualidades técnicas de performance, estabilidade e o grau proporcionado de acessibilidade melhoram notoriamente a cada nova revisão lançada.
Como Conhecer e Instalar o NVDA.
Aqueles que necessitem de uma solução aos moldes do NVDA, ou simplesmente querem experimentar, podem instalá-lo em poucos passos:
1. Acessem esta página: www.nvda-project.org/snapshots . Site Externo.. Aí se encontra a versão mais recente do programa. Recomenda-se sempre instalar uma versão nova, porque ela, geralmente, é mais estável e possui mais recursos que as anteriores.
2. Não se assuste caso não souber ler em Inglês; acesse o primeiro link da página que se chama "installer", para baixar um instalador automático do NVDA. Essa forma de instalar é ideal para quem não tem ou não sabe se tem um descompactador de arquivos no sistema, ou quer garantir que os arquivos sejam colocados nos lugares exatos.
3. Salve o arquivo em uma pasta qualquer, vá até ela, execute o arquivo, responda a qualquer pergunta se realmente deseja executá-lo e a instalação começará.
A outra forma de instalar é o segundo link da página acima informada, chamado "zip archive" que baixa um arquivo compactado. Ele é ideal se você prefere escolher com mais segurança a pasta onde quer instalar o programa e deseja fazê-lo de modo mais transparente:
1. Salve o arquivo e descompacte-o numa pasta vazia. Sugerimos C:\nvda, mas pode ser outra qualquer.
2. Desligue o seu leitor de telas, caso esteja usando algum e execute o arquivo nvda.exe, pressionando enter ou clicando, a depender do seu caso;
3. O NVDA toca então algumas notas musicais, começa a falar fazendo algumas perguntas. Basta ir dando continuidade pressionando enter até o final da instalação;
4. Ao final ele mostra uma janela contendo informações básicas para quem nunca trabalhou com ele. Use as setas para ler.
A voz padrão é o sintetizador Espeak. Você pode trocar de idioma teclando o comando CONTROL+SHIFT+V. Pode escolher também outro sintetizador teclando CONTROL+SHIFT+S.
Referências.
Explicaremos posteriormente o muito mais que se pode fazer com o NVDA, esse leitor fantástico que tantos problemas nos vai resolver. Por ora, você pode ler os documentos referenciados nesse artigo e que são bastante explicativos:
• Sítio oficial do NVDA, em Inglês: www.nvda-project.org . Site Externo.
• Sítio brasileiro da linguagem de programação Python: www.pythonbrasil.com.br . Site Externo.
• Sítio da ONG NV Access, em Inglês: www.nvaccess.org Site Externo.
• Licença Pública Geral GNU, tradução para Português:
http://www.magnux.org/doc/GPL-pt_BR.txt Site Externo.
• Página pessoal de Michael Curran, em Inglês: www.kulgan.net/mick Site ExterMe Tracker

FONTE:http://www.acessibilidadelegal.com/33-nvda.php

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Aplicativos de celular ajudam a melhorar a vida de deficiente visuais.


Aplicativos de celular ajudam a melhorar a vida de deficiente visuais
Diferentes tecnologias facilitam na hora de pegar ônibus, ler e pagar contas.
Uma tecnologia simples, ao alcance das mãos de qualquer pessoa, pode ajudar a melhorar a vida de mais de 500 mil brasileiros, que não conseguem enxergar.
Para onde você olha hoje, tem alguém mexendo em um celular. Isso acontece por causa do grande número de utilidades que os chamados smartphones estão reunindo. Além de acessar redes sociais, dá para chamar táxi, para pagar a conta no banco, descobrir o endereço para onde você quer ir. Agora, se você acha que eles estão muito presentes e facilitando o seu dia a dia, espera para ver o que esses aparelhinhos estão fazendo na vida de quem tem uma deficiência visual.
Quando Luiz Eduardo Porto ficou cego, descobriu que situações de rotina, como pegar um ônibus, poderiam virar desafios. “Digamos que o ônibus fosse chegar em 14 minutos. Eu ficaria lá durante 14 minutos fazendo sinal para tudo e todos que passassem pelo ponto”, diz o desenvolvedor do aplicativo.
Então, o próprio Luiz desenvolveu o aplicativo. Conectado aos aparelhos de GPS dos veículos da frota de São Caetano do Sul, no ABC Paulista, o programa avisa quando e que ônibus vai chegar.
“Daqui a oito minutos o ônibus vai chegar. Então, até posso colocar ele no bolso. Quando ele vibrar, já começo a fazer sinal", conta Luiz.
Andar a pé pelas ruas de Brasília também ficou mais fácil para Justino Bastos com a ajuda de um contador de passos instalado no celular. “No percurso, isso ajuda até eu me localizar na proximidade que eu estou, pela quantidade de passos”, conta o vice-presidente da Associação Brasiliense de Deficientes.
Para quem tem como trabalho analisar centenas de documentos e consultar leis, ler é imprescindível. Eduardo Homem de Sá, advogado de Belo Horizonte, faz isso hoje com a ajuda de leitores digitais.
“Isso é fantástico, porque tempos atrás eu teria que ter alguém para ler para mim. Agora não. Eu posso acessar o aplicativo, o aparelho lê para mim e eu tenho acesso a toda a lei”, conta.
E, nesse caminho, pagar a conta do almoço sozinho e com segurança, vira uma grande conquista.
“Basta tirar a nota e apontar o celular. Com certeza, a tecnologia assistiva me dá autonomia”, comemora um deficiente visual.

http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2014/08/aplicativos-de-celular-ajudam-melhorar-vida-de-deficiente-visuais.html
Aplicativos de celular ajudam a melhorar a vida de deficiente visuais
de g1.globo.com.

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Cadastro nacional a candidatos a utilização de cães guias.

A Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República ( SDH/PR ) lançou nesta quarta-feira (06) Chamada Pública para a criação do Cadastro Nacional de Candidatos à Utilização de Cães-Guia. O cadastro é voltado para pessoas com deficiência visual que têm interesse na utilização destes animais. O formulário para inscrição ficará disponível para a inscrição de candidatos das 0h desta quinta-feira (7) até às 23h59 do próximo dia 17 de agosto, por meio do endereço eletrônico: http://formsus.datasus.gov.br/site/formulario.php?id_aplicacao=16439 , Link, A inscrição servirá para a criação de uma lista de candidatos que poderão adquirir um cão-guia nos processos de seleção realizados pelos Centros de Formação de Treinadores e Instrutores de Cães-Guia via editais. Além do IFC-Camboriú, já em atividade, outros seis já estão em construção nos municípios de Alegre/ES, Muzambinho/MG, Urutaí/GO, Limoeiro do Norte/CE, São Cristóvão/SE e Manaus/AM.  Estão aptas a realizar a inscrição candidatos com cegueira ou baixa visão, no termos do art. 2º, I do Decreto nº 5.904/2006; a partir de 18 anos e que possuam condições físicas, psicológicas e financeiras para manter um cão-guia como tecnologia assistiva.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Método para devolver vista a afectados por retinitis pigmentosa.


Método para devolver vista a afectados por retinitis pigmentosa
Médicos mexicanos, juntamente com os seus homólogos na Inglaterra e no Canadá, criaram um método para restaurar a vista aos cegos e deficientes visuais, afetada pela doença conhecida como retinite pigmentosa.
É uma doença dos olhos em que há danos à retina. A retina é a camada de tecido na parte de trás do olho que converte imagens de luz em sinais nervosos e os envia para o cérebro.
Retinite pigmentosa pode ser herdada. É um distúrbio que pode ser causada por muitos defeitos genéticos.
As células controladores de visão noturna (varetas) são mais propensos a ser afetados; No entanto, em alguns casos, as células da retina de cone são aqueles que recebem a maior parte dos danos. O principal sinal da doença é a presença de depósitos escuras na retina.
O principal fator de risco é uma história familiar de retinite pigmentosa.
Os sintomas muitas vezes aparecem pela primeira vez na infância, mas problemas de visão graves geralmente não ocorrem até a primeira parte da vida adulta.
Diminuição da visão à noite ou com pouca luz 
A perda da visão lateral (periférica), provocando "campo de visão de túnel" 
A perda da visão central (em casos avançados) 
O gerente de projeto para o México, Adda Avilés Villanueva, disse que, após anos de pesquisa genômica. não foi capaz de detectar 18 mutações retinite pigmentosa, que pode restaurar a visão de pacientes com apenas um aminoácido de proporcionar-lhes falta.
Esta doença, explicou, é gerado pela falta de um aminoácido, que permite a utilização com sucesso de vitamina "A".
Em um paciente com a doença, esta vitamina está acumulada na retina por meio de depósitos, que afecta as células que são abrangidos pela vitamina como um pigmento escuro, que, gradualmente, gera a perda de visão.
Ele disse que, em 1997, ele iniciou a primeira pesquisa sobre esta doença, que, segundo ele, ainda hoje muitos especialistas não conseguem identificá-lo, razão pela qual o seu diagnóstico médico perda de visão associado a uma doença neural.
O especialista graduado pela UNAM e que atualmente realiza pesquisas em Yucatan, observou que vários especialistas associados com o Olho Virtual Caremd pertence, começou desde 2006 em aplicações humanas com sucesso para restaurar a visão de pessoas que perderam por causa da doença.
No México, ele acrescentou, "estima que 40.000 pessoas têm a doença, mesmo que hoje muitos dos afetados podem recuperar a visão através de uma técnica simples que envolve a injeção de um aminoácido nas retinas de pacientes e isso promove o uso adequado de vitamina 'A' ".
Ele disse que no momento em que foram determinadas 279 mutações genéticas de retinite pigmentosa, em 18 desses casos, causando a cegueira pode ser revertida em sua totalidade com uma intervenção simples e efeitos visíveis em apenas 72 horas na maioria dos casos http://www.cronica.com.mx/notas/2014/848559.html.
La Crónica de Hoy | Método para devolver vista a afectados por retinitis pigmentosa
de cronica.com.