Pesquisar

Minhas Redes Sociais – Nosso contato direto com você

No link abaixo nosso contato e nosso endereço de redes sociais. Siga-nos nestas Redes Sociais e tenha sempre acesso as informações que publicamos regularmente.



CLIQUE AQUI!

terça-feira, 26 de maio de 2015

Não enchergo como vou viajar sozinho?

Sem dúvida viajar sozinho é um grande desafio, principalmente para o baixa visão que é sempre muito cheio de medos e inseguranças. Mas posso falar por experiência própria que é muito tranquilo. Para mim, a independência sempre esteve no topo das minhas prioridades e eu sempre fui uma pessoa bastante independente, e hoje com a minha visão cada vez pior luto contra meus medos e minhas inseguranças para que mesmo diante da ausência de visão eu não venha de deixar de ser uma pessoa independente dentro das minhas limitações é claro. Mesmo que na cabeça das pessoas que enxergam fosse difícil imaginar como eu poderia fazer uma coisa “complicada até para os que estão vendo.”
Um exemplo bem prático é a separação do dinheiro, que até a algum tempo atrás era impossível sem procurar pelo menos uma vez, confiar em alguém que enxerga para que este nos auxiliasse. Hoje em dia com as tecnologias assistidas e as facilidades oferecidas pelos sistemas Android (da google) e IOS (da Apple), que existem aplicativos que auxiliam demais os deficientes visuais sejam baixa visão ou cego, como aplicativos que reconhece dinheiro , GPS acessíveis, reconhecedores de objetos, leitores de códigos de barras, scaneamento e interação com conteúdos RSS, etc. Eu gosto muito de uma frase que diz; Para pessoas sem deficiência a tecnologia torna as coisas mais fáceis, para as pessoas com deficiência a tecnologia torna as coisas possíveis. Mas voltando ao assunto, se você tem o desejo de viajar sozinho não deixe de viver esta experiência pois vai te fazer muito bem, aquela sensação de liberdade, sabe aquela sensação de que eu sou capaz é muito boa de se sentir. Ah Já ia me esquecendo, é muito importante o uso da bengala eu sei que pra maioria a bengala é vista como um objeto de inferioridade por que no início, temos a tendência de pensarmos que não precisamos usar a bengala, pelo fato de não sermos cegos - uma espécie de negação da deficiência, pois não precisamos ser cegos para usá-la. Há um certo orgulho em ainda enxergarmos, mesmo que seja pouco, e pensar em usar a bengala resulta num tipo de orgulho ferido, muitas vezes só de pensar nisso. Quando começamos a usar a bengala, ficamos tímidos, meio constrangidos - isso é involuntário, mas passa, principalmente quando tudo começa a ficar mais fácil, as portas vão se abrindo, as pessoas se aproximando e a sociedade entendendo que temos uma deficiência e assim somos. As situações de vergonha na rua por esbarrarmos em alguém desaparecem, tanto pelo fato de esbarrarmos muitíssimo menos, quanto pelo fato da presença da bengala justificar as eventuais esbarradas. Ou seja, as pessoas que se desculpam e procuram nos cuidar até mesmo. Não tô dizendo que é um conto de fadas ou a melhor coisa do mundo, mas é a nossa vida, somos nós. Nossa independência, nossa autonomia, nosso modo de ser no mundo. E sabe de uma coisa outro dia eu ouvi uma frase que eu achei uma grande verdade , ela dizia assim: Na verdade a sociedade é que é deficiente e não está preparada para o diferente.....Achei esta frase uma grande verdade
Há sempre uma primeira vez pra tudo, acredite !
Nós devemos valorizar todas as pequenas conquistas que conseguimos com sucesso !
Amigos, quanto a viajar inspira, enche o peito de coragem, e se tiveres um bocado de espírito de aventura também ajuda bastante ! Abraços!!!

Por:Paulo Ricardo

Nenhum comentário:

Postar um comentário