Pesquisar

Minhas Redes Sociais – Nosso contato direto com você

No link abaixo nosso contato e nosso endereço de redes sociais. Siga-nos nestas Redes Sociais e tenha sempre acesso as informações que publicamos regularmente.



CLIQUE AQUI!

terça-feira, 23 de junho de 2015

Cientistas podem encontrar a cura para a cegueira, revertendo a deterioração das células da retina

 

Milhões de pessoas são afetadas pela cegueira hereditária, uma doença que  provoca a perda de visão ao longo da vida. 

 Agora, os cientistas dizem ter encontrado uma maneira de reverter esta  deterioração. Eles já conseguiram restaurar, parcialmente, a visão de ratos, em  laboratório. A descoberta poderia ajudar a restaurar este problema de visão, que  atinge uma a cada 300 pessoas.
 A pesquisa foi realizada por cientistas da Universidade de Berna, na Suíça, e da  Universidade de Goettingen, na Alemanha.
 O tratamento é focado em algo conhecido como cegueira degenerativa progressiva,  que fazem com que células sensíveis à luz, presentes nos olhos, sofram  degradação. A pesquisa poderia ajudar pessoas que sofrem de uma série de  condições, incluindo retinose pigmentar, degeneração macular e retinopatia  diabética.
 Usando um processo conhecido como optogenética - que envolve o uso de luz para  controlar os neurônios - os cientistas foram capazes de restaurar as capacidades  de visão dessas células. Eles fizeram isso através da introdução celular de  proteínas sensíveis à luz, chamadas Opto-mGluR6, que sobrevivem na retina, mesmo  quando elas degradam.
No experimento, os ratos acometidos pela cegueira degenerativa progressiva, que  já eram incapazes de enxergar, tiveram sua visão restaurada à luz do dia. A  equipe acredita que é possível que os mesmos resultados sejam replicados em  seres humanos.
 As novas proteínas são introduzidas no olho para transformar as células velhas  em fotorreceptoras, o que lhes permite processar a luz incidente. Usando vias de  sinalização existentes, eles foram capazes de ativar o córtex visual do cérebro  para analisar sinais visuais.
 Antes do tratamento, ratos cegos foram incapazes de encontrar uma plataforma, ao  serem submersos em água. Após o tratamento, eles conseguiram nadar, diretamente  ao local, sem dificuldade, alguma. 
 "A nova terapia pode, potencialmente, restaurar a visão em pacientes que  sofrem de qualquer tipo de degeneração de fotorreceptores", disse Sonja  Kleinlogel, da Universidade de Bern, coautora do estudo. 
 “Isso poderia ajudar aqueles que sofrem de formas graves de degeneração  macular relacionadas à idade, uma doença muito comum que afeta, até certo ponto,  cerca de uma em cada 10 pessoas com mais de 65 anos”, completou. 

Fonte: jornalciencia.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário