Pesquisar

Minhas Redes Sociais – Nosso contato direto com você

No link abaixo nosso contato e nosso endereço de redes sociais. Siga-nos nestas Redes Sociais e tenha sempre acesso as informações que publicamos regularmente.



CLIQUE AQUI!

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

passe livre para as pessoas com deficiência no Estado de São Paulo.

Gente! Presta atenção nesta noticia, principalmente o pessoal que mora no Estado de São Paulo, a pouco tempo atrás o governador de São Paulo aprovou o passe livre intermunicipal para os idosos mas vetou o passe livre intermunicipal para as pessoas com deficiência.Mas agora o Deputado estadual aldo demarchi colocou em pauta este tema na assembleia
legislativa novamente, através do projeto de lei 351/2012 para que
seja derrubado o veto do governador. Mas para conseguirmos obter este
benefício precisamos nos mobilizar e manifestar o nosso interesse, pois só assim o projeto ganha
força e conseguirá ser aprovado, então vamos nos mobilizar e fazer barulho.

segue e-mail e telefone logo abaixo do gabinete deste deputado. Faça isso com os deputados da sua região também.
ademarchi@al.sp.gov.br
tel. ddd. 11 38-86-64-53 ou 54
972319322863039

Abaixo deixo uma noticia sobre o projeto de lei 351/2012,
Comissão de Transportes aprova passe livre para deficientes
12 ago, 2015

transportes-deficiente
Parecer foi aprovado na reunião de terça-feira, 11/08
A Comissão de Transportes e Comunicações da Assembleia Legislativa aprovou, na reunião desta terça-feira (11/08), parecer favorável ao projeto de lei 351/2012, de autoria do deputado Aldo Demarchi, que concede passe livre às pessoas portadoras de deficiência no sistema de transporte coletivo intermunicipal. Já referendada também pela Comissão de Constituição, Justiça e Redação, agora a proposta segue para a Comissão de Finanças, Orçamento e Planejamento, última etapa antes de entrar na pauta de votação.
“O objetivo é preencher a lacuna existente na legislação do Estado de São Paulo, uma vez que isso já existe em nível federal e em diversas cidades. Faz todo sentido, portanto, que tenhamos norma que permita a isenção nos deslocamentos entre os municípios, principalmente levando-se em consideração que muitas pessoas necessitam deixar seus locais de origem para buscar tratamento na Capital e outros grandes centros”, justifica Aldo Demarchi.
Estão incluídos entre os beneficiários os portadores de limitações de movimentos, como nos casos de paraplegia, paraparesia, monoplegia, monoparesia, tetraplegia, tetraparesia, triplegia, triparesia, hemiplegia, hemiparesia, ostomia, amputação ou ausência de membro, paralisia cerebral, nanismo e membros com deformidade congênita ou adquirida.
“Também serão beneficiados os deficientes auditivos com perda bilateral, parcial ou total de quarenta e um decibéis ou mais; e os indivíduos acometidos de cegueira, baixa visão ou que a somatória da medida do campo visual em ambos os olhos seja igual ou menor que 60 graus”, explica o deputado.
O projeto libera ainda do pagamento de tarifa quem apresentar funcionamento intelectual significativamente inferior à média, com manifestação antes dos dezoito anos e limitações associadas a duas ou mais habilidades adaptativas, entre as quais comunicação, cuidado pessoal, saúde e segurança, lazer e trabalho.

Fonte:http://aldodemarchi.com/site/?p=3194

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

dispositivos ópticos de vidro modificado poderia ser usado para melhorar a visão em pacientes com retinose pigmentar.

VIDRO MODIFICADO PODERIA MELHORAR A VISÃO PARA OS PACIENTES RP

dispositivos ópticos de vidro modificado poderia ser usado para melhorar a visão em pacientes com retinite pigmentosa
Quimicamente vidro modificado poderia ser usado em óculos e lentes de contato para melhorar a visão em pacientes com retinite pigmentosa, de acordo com uma nova pesquisa.
Cientistas em os EUA usaram o vidro modificado para converter ultravioleta (UV) -que não é detectável pelo olho-humano para a luz visível, melhorando o desempenho visual em peixes-zebra.
Pesquisadores da Universidade de Notre Dame coberta de vidro com os elementos químicos térbio e európio ou com nanopartículas ópticas para alterar a forma como o material reage à luz.
Quando a luz UV foi aplicada a este material modificado, conhecido como vidro de luminescência, foi convertida em luz visível, essencialmente, o aumento da quantidade de luz detectada pelo olho.
Os investigadores observaram que o vidro aumentou a quantidade de luz visível fornecida às células fotorreceptoras nos olhos de peixe-zebra com lesões da retina que imitam de perto a retinite pigmentosa humana incurável.
Universidade Ulster palestrante optometria, Dr. Raymond Beirne, que não esteve envolvido no estudo, disse OT que ele acreditava que o princípio pode ser usado para tratar a degeneração da retina em seres humanos.
Dr Beirne comentou: "Vai ser muito interessante ver se estes métodos podem ser desenvolvidos para uso em ensaios de pesquisa em humanos, pois isso poderia fornecer uma maneira rentável de melhorar a visão em milhões de pessoas que sofrem com doenças da retina."
Estima-se que 31.000 pessoas no Reino Unido são afetados pela retinite pigmentosa.
A equipa vai agora realizar estudos translacionais na esperança de desenvolver dispositivos ópticos para tratar a degeneração da retina em seres humanos.


Optometry Today | Modified glass could improve vision for RP patients, Chemically modified glass could be used in spectacles and contact lenses to improve vision in patients with retinitis pigmentosa, according to new research, aop.org.uk, 0 de 5 estrelas

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Empresa realiza o primeiro implante de retina artificial .

A Pixium Vision, empresa francesa que fabrica aparelho para a recuperação da visão, anunciou nesta quarta-feira, 24, que realizou o primeiro implante de retina artificial de seu novo produto. O dispositivo, chamado Iris II, pode ajudar pacientes que devem perder a visão por conta da retinite pigmentária, doença hereditária e degenerativa.

A retina artificial conta com 150 eletrodos e estimula artificialmente a retina comprometida, o que pode restaurar parcialmente a visão, para que seja possível capturar formas e movimentos."Esta novidade mundial, realizada em um paciente de 58 anos, transcorreu com êxito", explica o professor Michel Weber, chefe do serviço de oftalmologia do Centro Hospitalar Universitário (CHU) de Nantes, oeste da França, local onde aconteceu a operação.

Enquanto o paciente passa por um período de adaptação, outras pessoas devem passar pela cirurgia. De acordo com a companhia, a Iris II deve chegar ao mercado europeu ainda neste ano.
Além do implante, a empresa também procura maneiras de usar a terapia genética e celular para restaurar a visão.

Via AFP



Fonte:http://olhardigital.uol.com.br/noticia/empresa-realiza-o-primeiro-implante-de-retina-artificial/55459

sábado, 20 de fevereiro de 2016

Nem coitadinho, nem super-herói.

De acordo com o ultimo senso no Brasil, existe mais de 45 milhões de pessoas com deficiência no Brasil, mesmo com tanta gente com algum tipo de limitação como é grande a falta de informação das demais pessoas em relação a pessoa com deficiência. Eu sou um cara novo neste universo da pessoa com deficiência, apesar de ter uma doença degenerativa eu nunca me imaginei na condição de pessoa com deficiência, talvez pelo fato de não aceitar a realidade, mas deixando este papo de aceitação para outra hora. Estando neste universo uma coisa que me deixa muito bolado é este negocio ou você é um super herói, aquele sujeito digno de grande admiração, em virtude de sua grande coragem e imensa força de vontade, ou um deficiente coitadinho seria incapaz para tudo, inclusive e especialmente para tomar suas próprias decisões, ou seja, é um ser digno de pena. Eu não sei qual é o pior, o super-heróis não dispensa uma certa dose de pena, pois muita vez o que se ouve são frases do tipo: "Coitado, apesar de tudo, veja como ele é corajoso e determinado! Eu fico pensando como era a vida de uma pessoa com deficiência a 30 anos atrás, pois apesar de muita coisa ter mudado ainda existe muito preconceito, principalmente aquele preconceito camuflado, parece que as pessoas não tem consciência de que ninguém escolhe ter uma limitação e que todo mundo corre o risco de estar nesta condição. Na verdade, não é nem deficiente. É pessoa com deficiência – embora ninguém se dê ao trabalho de entender que a pessoa vem ANTES da deficiência. Abaixo deixo um texto que eu achei fantástico do site Crônicas da Surdez
mas eu acho um saco esse eterno endeusamento X coitadismo no que toca as pessoas com deficiência. Ou somos uns coitados dignos de pena. Ou somos heróis de superação. Não existe um meio termo, onde somos simplesmente humanos, tocando a vida como qualquer pessoa. Qualquer conquista nossa tem que ser louvada, elogiada, prestigiada, colocada num pedestal. E qualquer fracasso é sempre culpa da deficiência, coitadinho de nós. Tudo tudo tudo tem que girar em torno da deficiência. Nada pode ser analisado por si mesmo, tem que colocar a deficiência no meio. Mas, não adianta, eu não vou aceitar isso e achar que tudo bem. Vou reclamar sempre e brigar sempre pra pararem já com essa idiotice. Nem anjos nem demônios, seres humanos somente. O resto é detalhe!”
É uma pena que jornais e TV gostem tanto de apelar pro coitadismo, enquanto poderiam estar prestando um grande trabalho ao mudar o foco para o tema acessibilidade. Nós que somos surdos oralizados temos um longo caminho pela frente no que diz respeito a isso: falta acessibilidade para nós nas escolas, nas universidades, nos cursinhos preparatórios para concursos, nos cursos de idiomas, e por aí vai.

Autor:Paulo Ricardo trecho do texto acima do site cronicasdasurdez.com

(FDA) autorizou o início do primeiro estudo em humanos de um tratamento com células-tronco para pessoas com RP.

Primeiro ensaio clínico de um RP Terapia com células-tronco prestes a lançar

Os EUA Food and Drug Administration (FDA) autorizou o início do primeiro estudo em humanos de um tratamento com células-tronco para pessoas com retinite pigmentosa (RP). ReNeuron, uma empresa de desenvolvimento de células-tronco no Reino Unido, vai realizar o 15-participante, a Fase I / II julgamento de sua terapia emergentes da Massachusetts Eye and Ear Infirmary (MEEI).
Eric Pierce, M.D., Ph.D., diretor do Laboratório de Berman-Gund em MEEI e ex-presidente do Conselho Consultivo Científico da Fundação Fighting Blindness, será investigador principal do estudo. Dean Elliott, M. D., diretor associado do Retina Serviço MEEI, vai realizar a cirurgia. A Fundação desempenhou um papel na organização do julgamento e financiado investigação pré-clínica que tornou possível.
O tratamento é projetado para salvar e restaurar a visão em pessoas com moderada a RP avançado. Ela envolve a injecção de células progenitoras da retina humana (hRPCs), que são mais maduras do que as células estaminais embrionárias, mas não completamente desenvolvidos em fotorreceptores, as células na retina que tornam a visão possível. Os pesquisadores acreditam que uma vez que são injetadas sob a retina do paciente, os hRPCs irá desenvolver em, e funcionam como,, fotorreceptores maduros normais. Além de integrar com a retina do paciente para restaurar a visão potencialmente, espera-se que as células para retardar a degeneração de fotorreceptores existentes.
"Em primeiro lugar, temos de assegurar que este é um tratamento seguro. Trata-se de um tipo de célula que nunca foi injetado em um paciente antes ", diz John Sinden, Ph.D., diretor científico da ReNeuron. "Os dados pré-clínicos era muito limpo. Nós não ver qualquer reação imunológica ou tumores que seja ".
Ao avaliar a segurança é o objetivo principal do estudo, os investigadores clínicos também vai estar a olhar para as mudanças na acuidade visual, o campo visual, a sensibilidade da retina e da estrutura da retina.
Usando uma estratégia chamada de escalonamento de dose para ajudar a garantir a segurança, os investigadores irá aumentar o número de células injectadas como os doentes são tratados. Os três primeiros pacientes irão receber 250.000 células. Os três seguintes terá 500.000. Os três últimos receberá um milhão. Se não houver problemas, os investigadores vão continuar com a dose de células de um milhão de pacientes subsequentes.
"Baseado no que nós observamos nos primeiros nove pacientes, vamos considerar células injetar nas áreas das retinas dos seis pacientes finais, onde se pode obter um melhor efeito na preservação da visão," diz o Dr. Sinden. "Nós vamos aproximar-se da retina central e aumentar a área de cobertura. Em última análise, queremos que os dados para nos guiar na concepção de um pivot, de Fase III de ensaios para demonstrar a eficácia genuína. "
ReNeuron consultado com o Instituto de Pesquisa Clínica da Fundação (CRI) na concepção e organização do ensaio clínico inovador. "Tivemos o prazer de desempenhar um papel na obtenção de estudo da ReNeuron fora do chão", diz Patricia Zilliox, Ph.D., diretor de desenvolvimento de drogas no CRI. "Enquanto estamos sempre cauteloso sobre nossas expectativas nesta fase inicial de um estudo humano, que são, todavia, optimista. Este é um grande passo em frente para o que nós esperamos é reverter a cegueira ".
A Fundação também financiou décadas de pesquisa com células-tronco, incluindo os projectos de laboratório liderado por Michael Young, Ph.D., e Ray Lund, Ph.D., o que fez o tratamento da ReNeuron possível. Dr. Young conduziu o estudo preparatório final, em um modelo animal de grande porte, também financiado pela Fundação, antes ReNeuron pediu autorização do FDA para iniciar sua ensaio clínico.
"Este é um resultado maravilhoso para o culminar de 15 anos de trabalho", diz Dr. Young. "Estamos especialmente gratos a FFB para financiamento crítico do projeto."

Fonte : http://www.blindness.org/foundation-news/first-clinical-trial-rp-stem-cell-therapy-poised-launch

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Professora com Retinose pigmentar supera dificuldades e desfila em carnaval.

A pouca visão não impediu que a professora aposentada Silmara Coelho Moraes, de 53 anos, aproveitasse o carnaval da melhor maneira possível: desfilando no sambódromo do Anhembi, na Zona Norte de São Paulo. Foliã da Acadêmicos do Tatuapé, ela superou a dificuldade e dançou no chão na madrugada deste sábado (13), no desfile das campeãs.
"Todos os anos desfilei no chão, só em 2015 que não desfilei por conta da visão e chorei muito”, disse. “Esse ano foi minha estreia em carro alegórico, mas hoje queria desfilar no chão nessa noite das campeãs. A escola recebe muito bem que tem deficiência."
Com retinose pigmentar (doença que afeta a retina e provoca cegueira) há mais de 10 anos, ela saiu no carro alegórico Ratos e Urubus, em sua estreia em uma alegoria. "Nos primeiros quatro anos ainda enxergava melhor a escola, as fantasias. Em 2015 perdi mais a visão periférica." Ela sai há cinco anos pela escola.
Desde que sua visão ficou mais comprometida no ano passado, ela disse que a sensação de desfilar ficou mais intensa. "A emoção fica mais forte, parece que o samba bate mais forte no coração. Cada instrumento eu sinto, o surdo é sempre o surdo, ele dita o ritmo, mas o agogô sempre sobressai." Desfilando desde 2012, neste carnaval foi a primeira vez que ela incluiu fantasia na bengala.
Vice-campeã com uma homenagem à Beija-Flor de Nilópolis, a agremiação voltou ao Anhembi sem ensaio. “Não vai dar tempo de ensaiar novamente, mas vamos assim mesmo para mostrar a garra da escola”, brincou o rei do carnaval paulistano, Daniel Manzioni.

fonte:http://g1.globo.com/sao-paulo/carnaval/2016/noticia/2016/02/deficiente-visual-vence-dificuldades-e-desfila-no-chao-emocao-mais-forte.html