Pesquisar

Minhas Redes Sociais – Nosso contato direto com você

No link abaixo nosso contato e nosso endereço de redes sociais. Siga-nos nestas Redes Sociais e tenha sempre acesso as informações que publicamos regularmente.



CLIQUE AQUI!

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Retina Brasil e Retina Minas convidam você e sua família a participarem da reunião de pacientes que acontecerá em Belo Horizonte.

Retina Brasil e Retina Minas  convidam  você e sua família  a participarem  da reunião de pacientes que acontecerá em Belo Horizonte. O evento terá a palestra da Dra. Fernanda Belga Ottoni Porto, oftalmologista especialista em retina, que abordará temas como: 1) Doenças Degenerativas da Retina: o que são, pesquisas científicas  visando futuros tratamentos; 2) Genotipagem: O que é genotipagem e a sua  importância  para o diagnóstico das doenças degenerativas da Retina 3) Terapia genética como uma das possibilidades de tratamento futuro
 
D A T A       
19/08/2017, das 09:00 às 11:30h
L O C A L             
Mercure Belo Horizonte Lourdes Hotel                                        
Av. do Contorno, 7315. Bairro Lourdes - Belo Horizonte/MG
 
Teremos a oportunidade de ouvir representantes da Retina Brasil e  da Retina Minas apresentando temas como:
1. O que é a Retina Brasil:

2. A importância dos Grupos de Pacientes;

3. Fortalecendo a Retina Minas;

4. Projeto Bengala Verde.

5. Depoimento de paciente – Vencendo barreiras (Liliane Camargos)  

                 
Este será um momento importante para compartilhar experiências e confraternizar com outros pacientes. Você poderá aprender e trazer suas dúvidas  sobre as doenças degenerativas da retina. Pacientes com Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI) e Retinopatia diabética poderão ouvir explicações sobre suas doenças e sobre tratamentos existentes para essas patologias. Serão abordadas questões ligadas à reabilitação, prevenção de doenças da visão e  qualidade  de vida para quem tem baixa visão.
 
O evento é gratuito e inscrições antecipadas podem ser feitas no link https://goo.gl/forms/3kZJEOqZ74OcoDKN2 
 
Informações:   
Retina Minas  WhatsApp (31) 99625-1311   gruporetinaminas@gmail.com
 
Maria Antonieta Leopoldi  Tel (21) 2553 3152
 
Retina Brasil  Tel (11) 5549.2239   contato@retinabrasil.org.br
 
Compareça! 
 
Maria Julia Araújo  (Retina Brasil)
Sandra Diniz  (Retina Minas)
Dra. Fernanda Belga Ottoni Porto (Oftalmologista e Presidente do Comitê Cientifico do Retina Minas)

domingo, 30 de julho de 2017

TODA A VERDADE SOBRE O MÉTODO MEIR-SCHNEIDER-SELF - HEALING.

Após inúmeras postagens nas redes sociais sobre “métodos milagrosos” para tratamento de problemas visuais, a Comissão Científica da Sociedade Paraense de Oftalmologia (SPO), juntamente com o apoio jurídico da Associação Paraense de Oftalmologia (APO), fez uma intensa pesquisa sobre este método chamado Meir-Schneider-Self-Healing, tanto divulgado pela terapeuta ocupacional Tatiana Reis Gebrael  em suas redes sociais e site.
Meir Schneider nasceu em Lvov, Ucrânia, em 1954. Ele aprimorou o método do médico americano William Bates (1860-1931) de estimulação da visão que utiliza exercícios para os olhos, aliando as técnicas de ioga, auto-massagem e movimento, pois considera que o olho faz parte de um sistema interdependente e que problemas de visão estão intimamente relacionados a estados emocionais. Afirma que enxergamos 90% com o cérebro e 10% com os olhos e o que assimilamos não é a impressão da imagem na retina, mas nossa interpretação individual.
O próprio Meir alega que nasceu com cataratas e teria ficado cego pelo resto da vida, não fossem certos exercícios que aprendeu com um garoto de sua idade, aos 17 anos. Ele já tinha sido desenganado pela medicina tradicional, pois suas cataratas haviam sido removidas aos quatro anos, tarde demais para o desenvolvimento cerebral adequado das áreas visuais.
 Os instrumentos utilizados são massagens, movimentação passiva e dinâmica, movimentação inusitada, exercícios de respiração, visualização e relaxamento, tudo isso de forma combinada.
São cinco princípios:
1. Relaxamento - É necessário criar uma zona de neutralidade no cérebro, um espaço virtual para que a mudança possa acontecer.
2. Equilíbrio entre visão central e periférica - A vida urbana provoca uma atrofia na percepção da visão periférica.
3. Ajuste da visão a diferentes intensidades de luz - A intolerância dos     olhos diante dessas situações provoca tensão.
4. Olhar pequenos detalhes - A visão central acontece numa pequeníssima área de alta resolução na retina. Para enxergar qualquer detalhe com nitidez é necessário que o olho faça pequenos movimentos sacádicos. Um dos maiores empecilhos da boa visão é quando ocorre a fixação exagerada.
5. Uso equilibrado dos olhos - Equilíbrio é relaxamento. Se um olho é mais requisitado do que o outro, o dominante sofrerá por excesso de uso e o outro, por supressão. Da mesma forma, se a visão periférica for ignorada, a central será excessivamente usada e com esforço. O desequilíbrio produz uma enorme tensão visual e corporal.
   A educação visual é feita através de sessões de uma hora, cuja periodicidade depende da necessidade do cliente. Normalmente o regime é semanal. É necessário fazer os exercícios em casa diariamente durante o processo.
Associadas às práticas visuais, são propostos exercícios corporais, respiratórios e massagens de relaxamento. Essa é uma parcela essencial do treinamento.
EXERCÍCIOS:
Palming:
Sente-se numa sala escura com os cotovelos apoiados na mesa. Aqueça as mãos, esfregando uma contra a outra e coloque-as em concha sobre os olhos fechados. Respire pausadamente e imagine algo preto. Provavelmente você perceberá alguma informação luminosa competindo com a imaginação. Não recuse. Deixe que o preto se imponha naturalmente, sem esforço.
Sunning:
De olhos fechados e direcionados para o sol, gire a cabeça de um lado para outro, num movimento amplo. Procure não franzir os olhos para que a luz penetre sem resistência. Após alguns 5 minutos, vire de costas para o sol e tampe os olhos num palming de um minuto, a fim de intensificar seus efeitos. O ideal é fazê-lo trinta minutos por dia. Termine com um palming de dez minutos
Skying:
Comece com os olhos fechados, até conseguir certo conforto. Pisque constantemente com os olhos direcionados para as nuvens. Imagine que seus olhos são duas bocas, comendo luz. Faça por dois minutos e descanse em um pequeno palming por um minuto.
Olhar longe:
 Olhe o horizonte com olho mais forte tampado, pesquisando os detalhes possíveis durante 5 minutos seguidos. Destampe o olho e observe a mesma paisagem com os dois olhos por um minuto. Tampe novamente olho direito e procure observar os detalhes que escaparam na vez anterior.
Equilíbrio binocular – Coordenação visuo motora:
 Jogue bola contra a parede ou com um parceiro, mantendo o olho mais forte tampado por sete minutos. Fazer isso a cada duas horas.
Swinging:
Movimento paralax. De pé, com as pernas confortavelmente separadas, posicione o dedo indicador na frente do nariz, com o braço levemente dobrado. Sem tirar os olhos do dedo, mova o corpo de um lado para outro o mais amplo que puder. Dedo, braço e corpo formam um eixo que se move em conjunto. Enquanto faz o balanço, tudo parece se movimentar na direção oposta, como se você estivesse observando a paisagem da janela de um trem.
Exercício das contas de Brock:                 
O material consiste em 6 contas de madeira de cores diferentes inseridas em um barbante de 3 metros de comprimento. Estique o fio diante do nariz, espalhe as bolinhas em distancias mais ou menos iguais e focalize os olhos na primeira bola. Enquanto vê a primeira, observe que o restante do fio aparece duplicado. Olhe a segunda bola e verá um X a partir do centro. Olhe para a terceira e verá um V com a abertura em sua direção. Alterne as distancias.
Estimulação da Visão Periférica:
Separe três tiras pretas retangulares de 4, 6 e 8cm de comprimento. Coloque a de menor tamanho entre os olhos com a ajuda de uma fita crepe. Num quarto escuro, abane duas lanterninhas nas laterais da cabeça enquanto olha para frente. O retângulo preto impede a visão central, deixando apenas a periférica ativa. Repita o exercício com a tira de tamanho médio e depois com a maior. No final, tire o retângulo e constate o aumento da percepção de visão periférica que adquiriu. Tempo mínimo: 5 minutos.
CONSIDERAÇÕES DA SPO/APO:
1. Como uma técnica tão arcaica (1912) pode ser considerada tão revolucionária quanto a Tatiana Gebrael afirma? Os estudos de William Bates nunca foram comprovados, reproduzidos nem aceitos em 1912, nem nos dias atuais.
2. Tatiana Gebrael não possui formação médica, tâo pouco é oftalmologista, para diagnosticar, tratar e acompanhar pacientes com graves problemas oculares ( glaucoma avançado, catarata avançada, descolamento de retina, retinose pigmentar, degeneração macular relacionada a idade-dmri etc.) como ela afirma fazer!
3. Como o conselho regional e/ou federal de terapia ocupacional permite tanta exposição de autopromoção de imagem associado à venda de palestras, cursos, vídeos, óculos, tampão e outros produtos pela terapeuta ocupacional Tatiana Gebrael?
4. Não há na grade de graduação universitária de Terapia Ocupacional disciplinas que contemplem estudos oftalmológicos tais como: física óptica, embriologia ocular, refratometria, anatomo-fisiologia ocular, patologia ocular, farmacologia ocular etc.
5. Observamos que tudo começa com a oferta de cursos online gratuitos que prometem qualquer pessoa cega voltar a enxergar e de repente vira algo associado à venda de óculos especiais, tampão, livros, Cds/Dvds, cursos caríssimos e vários outros produtos para estimular algo intitulado “ a auto cura” dos olhos de qualquer alteração ou patologia ocular grave.
6. Toda a literatura relacionada ao método Meir-Schneider-Self-Healing é arcaica (1912), apoiada em estudos filosóficos e não científico, estudos não controlados, estudos não randomizados, sem acompanhamento médico clínico de controle, extremamente redundante e repetitivo, exemplificado com várias estórias fantasiosas e milagrosas de cura, bastante apoiado no famoso “Efeito Placebo”, tão conhecido no meio científico.  Além disto, toda referência bibliográfica ou é inexistente ou é ela mesma se referencia, ou seja, não há fundamentação para quase tudo do que está escrito.
7.  A terapeuta ocupacional Tatiana Gebrael, em seu site e redes sociais, fala e escreve claramente para pacientes cegos com patologias oculares graves (descolamento de retina, glaucoma avançado, DMRI, Retinopatia Diabética, doenças corneanas etc)  pararem seus tratamentos ( desistir de cirurgias, para de usar colírios etc), inclusive, estimula as pessoas a deixarem de fazer acompanhamento médico oftalmológico o que, obviamente, irá piorar de forma irreversível o quadro clínico destes pacientes.
8. O método Meir-Schneider-Self-Healing defende a idéia que as pessoas não precisam fazer tratamentos oculares convencionais, pois o olho possue mecanismos de “auto cura”; basta o paciente meditar, exercitar os olhos e se concentrar, pois afirmar que 90% da visão é no cérebro. Ou seja, defende a idéia que pessoas são cegas, porque não se concentram para enxergar!
9. Olho humano é uma estrutura bastante pequena e delicada que em sua formação embrionária já nasce hermeticamente fechado sem condições de criar mecanismos de ”auto cura” espontâneo apenas com exercício, massagens e yoga.
10. O olho pode ser acometido por mais de 3 mil tipos de doenças oculares diferentes que podem causar cegueira, caso não seja feito um atendimento médico oftalmológico precoce, contínuo e periódico.
11. No Brasil há 1,2 milhões de pessoas cegas, sendo 60-80 % destes casos evitáveis e/ou curáveis caso tivéssemos uma acessibilidade ao atendimento oftalmológico adequado.
12. Para 2020, existirão no mundo 300 milhões de pessoas cegas ou com baixa visão. A cada cinco segundos uma pessoas fica cega e uma criança fica cega a cada  minutos.
CONCLUSÕES DA SPO/APO:
1. Não há estudos que comprovem a eficácia deste método de terapia ocupacional no tratamento de patologias oculares tais como: catarata, glaucoma, descolamento de retina, dmri, retinopatia diabética, membrana epirretiniana etc.
2. O método Meir-Schneider-Self-Healing é um método arcaico, sem fundamentação científica e sem reprodutividade, cuja o único efeito, no máximo,  é o relaxamento da musculatura facial e alívio do stress!
3. Tatiana Gebrael será processada pela SPO/APO sobre as legações: a) exercício ilegal da medicina, pois a mesma esta substituindo o tratamento dos pacientes com doenças oculares; b) propaganda enganos e falsidade ideológica, uma vez que está vendendo algo que não consegue entregar aos seus clientes, a “ auto cura”, além de vender produtos e cursos com esta finalidade; c) charlatanismo, pois anuncia cura por meio infalível que sabe ser falso; d) estelionato, uma vez a ação põe em risco a saúde pública além de buscar lesão do patrimônio das pessoas.
4. A SPO/APO desafia a terapeuta ocupacional Tatiana Gebrael fazer algum paciente cego em acompanhamento do serviço de residência médica oftalmológica da Universidade Federal do Pará voltar a enxergar em um período de 6 meses. Caso consiga esta proeza, a SPO/APO anulará o processo, fará um pedido de desculpas em vários meios de comunicação e pagará a Tatiana Gebrael o valor de 100 mil reais.
5. Infelizmente, existem pessoas oportunistas que se valem da desgraça física e mental das pessoas mais sofridas, em um momento de crise econômica nacional, para autopromoção de imagem, venda de produtos e cursos, visando exclusivamente o lucro.
6. Só o médico Oftalmologista é capacitado (No mínimo 9 anos de formação) e legalmente habilitado ( Decretos 20.931/32, 24.492/34,  ADI 533-2/MC e STJ- 15/09/2015 Ácordão do Ministro Humberto Martins) para examinar, detectar, diagnosticar e tratar sua saúde ocular.
Dr. Carlos Henrique Vasconcelos de Lima.
Médico Oftalmologista
Mestre em Oncologia e Ciências Médicas (UFPA)
CRM-PA: 7967
Dr. Lauro José Barata de Lima.
Médico Oftalmologista.
Mestre em Oftalmologia (UNIFESP).
Doutor em Neurociências e Biologia Celular (UFPA)
CRM-PA: 6521
Dr. Alexandre Antônio Marques Rosa.
Médico Oftalmologista.
Doutor em Ciências Médicas (USP)
CRM-PA: 7754
Dra. Ana Cristina Lobato Marques Vendramine.
Médica Oftalmologista.
Doutora em Oftalmologia (UFMG)
Pós-Doutora em Imunologia Ocular (HARVARD-EUA)
CRM-PA: 2580
Dra. Carolina Trindade Pinto.
Médica Oftalmologista.
Doutora em Ciências Médicas (USP)
CRM-PA: 8824
Dr. Valério Ribeiro.
Advogado.
OAB-MG 74.204
OAB-RJ 181.688

Fonte:http://spo-apo.com.br/noticias/detalhe/id/27

sábado, 29 de julho de 2017

JUSTIÇA DETERMINA PARALISAÇÃO DE PROPAGANDA DE CURAS DE DOENÇAS OCULARES POR EXERCÍCIOS.



O Juiz da 5ª Vara Cível e Empresarial de Belém (PA) determinou que a terapeuta ocupacional Tatiana Gebrael suspenda imediatamente em sua página na internet e em outros veículos de informação qualquer sugestão de tratamento para patologias oculares que não tenham evidência científica.
A sentença é resultado de Ação Cível Pública ajuizada pela Associação Paraense de Oftalmologia e pela Sociedade Paraense de Oftalmologia contra a terapeuta ocupacional que garantia, em sua página na internet, a “cura” de doenças oculares por intermédio de exercícios e outros artifícios fantasiosos.
Embora Tatiana ainda possa recorrer da sentença junto ao Tribunal de Justiça do Estado do Pará, ela está sujeita a aplicação de multa diária no valor de R$ 1.500,00 até o limite de R$ 50.000,00 caso não cesse de divulgar imediatamente seus métodos de “cura” de doenças oculares.
O CBO também propôs Interpelação Judicial contra a mesma profissional pelo mesmo motivo, que ainda esta em tramitação na 7ª Vara Cível da Comarca de Santos (SP).

Fonte: CBO conselho Brasileiro de oftalmologia.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Não se apegue a expectativas.

Há cerca de 8 anos atrás o meu coração se enchia de expectativa, lembro como se fosse hoje. Eu estava almoçando quando surgiu  a seguinte reportagem no jornal da TV local, a apresentadora dizia: Veja a seguir  a busca pela cura da Retinose pigmentar,, a reportagem iria falar de um suposto tratamento com células troncos em uma clinica no interior do estado de São Paulo.
Link da reportagem da época:https://www.youtube.com/watch?v=uu7U31pA-t4O que me levou a escrever este texto, foi uma frase que acabei de ler que diz o seguinte: “Eu diria, na minha visão precária e poética do mundo, que a expectativa é a ânsia angustiada pela ocorrência de algo. Enquanto a esperança é constatar, grato ao universo, a possibilidade de que algo venha a ocorrer.”
Nara Rúbia Ribeiro
Depois de ler esta frase eu fiquei pensando, ter  expectativas é bom, até certo ponto. Quando sua vida é feita por expectativas, você corre o risco de cair de um local muito alto e se machucar bastante com a queda. E foi exatamente o que aconteceu comigo, por isso que hoje eu adotei um modo defensivo,sempre lembro de uma frase que diz: Se você quiser evitar decepções, diminua suas expectativas.
Isto não significa que deixei de acreditar em uma possível cura,até por que eu sei que um dia ela vai chegar, e acredito que não está longe, mas prefiro me concentrar na realidade, onde, pelo menos, tenho certeza de que vou sempre ter a verdade em mãos.

Autor:Paulo Ricardo

segunda-feira, 24 de julho de 2017

CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR O VÍDEO

 É possível combater a #cegueira com células-tronco? Teoricamente, sim. A pesquisadora Carolina Del Debbio, do Instituto de Ciências Biomédicas - USP / (ICB-USP), conseguiu gerar novos neurônios da retina a partir de um tecido do #olho que pode ser retirado sem causar danos significativos à #visão. Agora ela está a poucos passos de entender por que a #retina não se regenera dentro do próprio corpo,
OFERTA IMPERDÍVEL IPHONE 5S.

Carolina é uma jovem pesquisadora financiada pela Fapesp e leva seu olhar de enfermeira para a pesquisa contra doenças como #glaucoma, retinose pigmentar e degeneração macular.


Fonte:https://www.facebook.com/pg/cienciausp/posts/?ref=page_internal

Como funciona o iPhone para pessoas com baixa visão e pessoas cegas.

Clique aqui e veja como pessoas com baixa visão usam o iPhone. 

OFERTA DE IPHONE, CLIQUE AQUI E CONFIRA,.

Adaptações de exibição
O iOS permite inverter cores, reduzir o ponto branco, ver em escala de cinza ou aplicar filtros de cor para ajudar usuários com daltonismo ou outros problemas visuais. Você pode selecionar um ajuste predefinido ou configurar com precisão o tom e a matiz de cor para atingir a visualização ideal. Depois de configurar os filtros, os ajustes se aplicam a todo o conteúdo do iPhone.
Ajustes de fontes
Quando você ativa Letras Maiores, o texto de vários apps fica maior, mais fácil de ler. Ele funciona no Calendário, Contatos, Mail, Mensagens, Música, Notas e Ajustes, entre outros. Inclusive em vários apps de terceiros. E você pode optar por colocar o texto em negrito, para deixar mais destacado em vários aplicativos do iOS.
Zoom
O Zoom é como uma lente de aumento na tela, que funciona em qualquer lugar do iOS e nos apps disponíveis na App Store. Habilite o Zoom para visualização em tela cheia ou no modo quadro a quadro, que mostra a área ampliada em separado e o restante da tela em tamanho normal. A ampliação vai de 100% a 1500%, e você ainda conta com diversos filtros em qualquer visualização. Mesmo com o Zoom, você usa todos os gestos que já conhece para navegar pelo iPhone. Ele funciona com o VoiceOver para que você possa ver e ouvir melhor o que está acontecendo na tela.

Lupa
O recurso Lupa transforma o seu iPhone em uma lupa digital. É só apontar a câmera para ver o objeto maior e os detalhes com mais nitidez. Use o flash para iluminar, ajuste os filtros para distinguir melhor as cores ou tire uma foto para ver um close do objeto parado.
Falar Conteúdo da Tela
Caso não consiga ler direito o texto no seu iPhone, use o recurso Falar Conteúdo da Tela. Ele lê e-mails, mensagens, sites e livros para você. Uma vez habilitado, basta deslizar com dois dedos, do alto da tela para baixo. Ou diga "Falar Conteúdo da Tela" para a Siri e pronto. Você pode ajustar a velocidade da fala e o dialeto, e até pedir que palavras, frases ou palavras dentro de frases apareçam em destaque à medida que são pronunciadas.

Siri
A Siri é a assistente inteligente da Apple, que ajuda nas atividades do dia a dia*. Ela envia mensagens, faz ligações, agenda reuniões e até liga e desliga o VoiceOver, o Acesso Guiado e a Inversão de Cores.
Ditado
Com o Ditado, você pode falar em vez de digitar. Toque no botão do microfone no teclado, diga o que gostaria de escrever e o iPhone transforma suas palavras (e números ou caracteres) em texto. Assim, é fácil escrever um e-mail, um bilhete ou um endereço da web sem precisar digitar.

OFERTA DE IPHONE, CLIQUE AQUI E CONFIRA,.
VoiceOver
O VoiceOver é um leitor de tela baseado em gestos que permite usar o iPhone mesmo sem ver. Uma vez habilitado, você acessa o VoiceOver a partir de qualquer lugar do iOS, com três cliques no botão de Início. Ouça a descrição de tudo que acontece na tela, da carga da bateria a quem está ligando ou até de qual app seu dedo está em cima. E você pode ajustar a velocidade e tom da voz.
VoiceOver em apps
Por estar integrado ao iOS, o VoiceOver funciona com os apps que vêm com o iPhone. Você pode criar etiquetas personalizadas para os botões em qualquer app, inclusive de terceiros. A Apple trabalha com a comunidade de desenvolvedores em iOS para deixar os apps ainda mais compatíveis com o VoiceOver.

Movimentos do VoiceOver
Você controla o VoiceOver usando alguns gestos simples. Toque ou arraste o dedo pela tela para que ele fale o que está lá. Toque em um botão para ouvir sua descrição. Depois, dê dois toques para selecionar. Arraste o dedo para a esquerda e direita para passar de um elemento a outro. Quando se interage com um elemento, um retângulo preto aparece ao redor dele. Assim, usuários que conseguem enxergar podem acompanhar. Se quiser privacidade, ative uma cortina de tela que desliga o monitor, mas continue ouvindo todas as indicações do VoiceOver.
Entrada de texto
com o VoiceOver
Com o VoiceOver habilitado, cada caractere que você toca no teclado é lido em voz alta, e depois de novo quando ele for inserido no texto. Arraste para cima ou para baixo para mover o cursor e editar com precisão. Para digitar mais rápido, o iOS aceita várias formas de entrada de caracteres, como escrita à mão. E ainda corrige erros de ortografia. Ative o recurso Falar Texto Automático e ouça um efeito sonoro e a palavra sugerida. Continue digitando para ignorar a palavra ou pressione a barra de espaço para que seu iPhone digite para você.
VoiceOver e o rotor
O VoiceOver tem um controle virtual chamado rotor. Ele é ativado quando você gira dois dedos sobre a tela, como em um botão de rádio, e permite navegar com precisão por sites ou documentos. Quando estiver em uma página, gire o rotor para ouvir opções como “manchetes”, “links” e “imagens.” Depois deslize para escolher como será a navegação, por exemplo, de uma manchete para outra.
Teclado braille do VoiceOver
Todo o sistema do VoiceOver oferece suporte para teclado em braile, com arranjos de seis e oito pontos. Isso permite escrever em braile sem um teclado físico. Como ele está disponível no rotor, você usa o teclado para digitar, desbloquear o iPhone, abrir apps e buscar conteúdo em apps como Música.
VoiceOver e monitores em braile
O iPhone é totalmente compatível com mais de 70 monitores em braile. Você conecta um monitor em braile Bluetooth e lê com o VoiceOver, inclusive braile com e sem contrações e equações, usando o Código Nemeth. Os monitores em braile com teclas podem controlar seu iPhone quando o VoiceOver estiver ativo.
VoiceOver e editor de pronúncia
O editor de pronúncia permite criar uma lista de palavras ou frases com as formas fonéticas correspondentes para o VoiceOver. Essas palavras e frases serão pronunciadas em documentos, mensagens, sites e outros textos da forma que você preferir.
OFERTA DE IPHONE, CLIQUE AQUI E CONFIRA,.

Fonte:https://www.apple.com/br/accessibility/iphone/vision/

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Responsáveis por pessoas com deficiência ganham direito a isenção total no IPVA no Estado de São Paulo,.

CLIQUE AQUI E ASSISTA A REPORTAGEM.

O Diário Oficial do Estado de São Paulo publicou neste dia 19 de julho a Lei nº 16.498/2017, de autoria do Poder Executivo paulista, que estabelece a isenção do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores), também para pessoas com deficiência não condutoras. A nova medida vai beneficiar pessoas com Síndrome de Down, autistas, cegos, pessoas com paralisia cerebral, deficientes intelectuais, entre outros casos.
A isenção do imposto era uma reivindicação antiga dos deficientes de São Paulo. Até então, apenas os deficientes condutores, ou seja, aqueles que possuem CNH especial e podem dirigir os automóveis devidamente adaptados, tinham direito à isenção total do IPVA.
Todavia, a nova Lei limita o valor do veículo ao valor estabelecido pelo Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) nos processos de isenção do ICMS e do IPI, direito que todos os deficientes já têm, que hoje está em R$ 70 mil.
Outra novidade que a Lei traz é a possibilidade da obtenção da isenção do IPVA também para veículos usados. Neste caso o valor dos automóveis fica também ao valor máximo de R$ 70 mil, conforme tabela oficial anual de incidência do IPVA divulgada pela Secretaria Estadual da Fazenda.
A conquista do benefício contou com a participação das instituições que assistem os deficientes em São Paulo e também de deputados estaduais. A deputada Célia Leão chegou a enviar algumas indicações solicitando ao governador a liberação da isenção para os deficientes não condutores. “Depois da nossa luta, do nosso trabalho, hoje podemos comemorar mais esta importante conquista para a população de São Paulo”, frisou a parlamentar.
Vale lembrar que, além da isenção do IPVA, todas as pessoas com deficiência têm ainda o direito à isenção total do ICMS e IPI. Com isso o valor do automóvel pode ter um desconto de até 30%.
Fonte:http://celialeao.blogspot.com.br/